SOLUÇÃO EMPRÉSTIMOS

SOLUÇÃO EMPRÉSTIMOS

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

MINISTÉRIO PÚBLICO INVESTIGA FALHAS EM ARMAS UTILIZADAS PELA POLÍCIA MILITAR


O Ministério Público Estadual (MPE) abriu um procedimento preparatório de inquérito para investigar possíveis falhas em armas da marca Taurus que foram adquiridas pelo Governo do Estado de Mato Grosso. Nas redes sociais, diversos militares têm reclamado dos problemas nos armamentos. Em junho do ano passado, foram desembolsados R$ 1,2 milhões para compra dos equipamentos.

O procedimento foi instaurado pelo promotor de Justiça, Mauro Zaque, que chegou a ficar um ano à frente da Secretaria de Segurança Pública (Sesp), no início do mandato do governador Pedro Taques (PSDB). A investigação tem como objetivo “investigar a notícia de falhas em armas da marca Taurus adquiridas pelo Estado de Mato Grosso”. A conclusão deverá acontecer em três meses.

O major da Polícia Militar, Marcos Paccola, denunciou em suas redes sociais alguns problemas referentes à pistola PT 840, da Taurus. Quando acionada, a arma por diversas vezes não disparou, mesmo estando destravada. Para mostrar a falha, ele utilizou uma caneta no cano da pistola.

A arma disparou na primeira tentativa, falhou nas outras duas e voltou a funcionar na quarta. A falha coloca a vida do policial militar em sério risco. No início do mês, quando o soldado da PM, Elcio Ramos, foi morto durante uma ação no bairro CPA III, em Cuiabá, o próprio secretário de Segurança Pública (Sesp), Rogers Jarbas, admitiu que a pistola dele teria falhado quando ele tentou disparar contra o suspeito, que era investigado por uma suposta venda de armas.

Ao todo, o Executivo investiu R$ 1,2 milhão na compra, com dispensa de licitação, de 600 pistolas semiautomáticas, calibre .40, modelo PT 840. Elas foram utilizadas para reformar a Polícia Militar. Além disto, também foram gastos mais de R$ 1,3 milhão para a aquisição de 300 pistolas calibre .40, modelo PT840 e 300 pistolas calibre .40, modelo PT640, para reforçar a Polícia Judiciária Civil (PJC).

Em maio deste ano, a Polícia Civil do Rio de Janeiro fez um teste pra avaliar a eficiência das pistolas da marca. Foram separados lotes de dois dos modelos mais usados por policiais civis e militares no estado. A perícia aconteceu nos dias 31 de março e 1º de abril e o resultado apontou que das 55 pistolas testadas – todas compradas há no máximo dois anos pela Polícia Civil – 36 apresentaram problemas.