SOLUÇÃO EMPRÉSTIMOS

SOLUÇÃO EMPRÉSTIMOS

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Nova parceria emprega presos na produção de espetinhos de carne para churrasco


o vermelho para o branco, assim tem sido a manhã de 15 presos do Complexo Penitenciário Nelson Hungria (CPNH), em Contagem, que trocam o uniforme da Suapi pelo da Chipista, fornecedora de espetos de carne para churrasco. Instalada na unidade há quase dois meses, a nova estação de trabalho monta por dia cerca de 2.000 espetinhos de medalhão, filé e coração de frango, alcatra e contrafilé bovino. A carne chega em peças que são cortadas e espetadas pelos detentos.

Com mais de 30 anos de experiência no segmento de espetinhos e de serviço de buffet, a Chipista procurou a direção do CPNH no fim do ano passado e passou a negociar a instalação da frente de produção na penitenciária. Gerente destacado pela empresa para conduzir a experiência na CPNH, Daniel Henrique de Almeida, diz que a Chipista já planeja dobrar a produção com mão de obra de presos por causa dos bons resultados. Mas não é só por isso. Segundo ele, a empresa está gratificada por estar contribuindo na ressocialização de condenados.

“Assim que eu entrei aqui pela primeira vez, vim carregado daquela barreira de preconceito, que infelizmente a vida lá fora cria em nós. Mas tudo caiu por terra quando descobri como é de verdade. Eu venho alegre trabalhar por ver essas pessoas aproveitando uma oportunidade que demos a elas”, diz Daniel.

A diretora de Atendimento e Ressocialização da penitenciária, Magda Andrade Neves, destaca a importância de construir parcerias com empresas comprometidas com a ressocialização e dispostas a realizar um projeto duradouro na unidade prisional. Atualmente, há 13 parcerias desse tipo ativas na penitenciária, em que trabalham de forma remunerada 372 sentenciados. Já em trabalho não remunerado, principalmente no artesanato, há cerca de 600 presos.