SOLUÇÃO EMPRÉSTIMOS

SOLUÇÃO EMPRÉSTIMOS

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Os investigadores britânicos elogiaram a estrutura de Minas Gerais e os preparativos das forças de segurança do Estado. 

Oficiais do Comando Antiterrorismo Britânico, Ian Tremble e Matt Pilch estiveram em Belo Horizonte, nesta segunda-feira (1/8), para falar da experiência na Olimpíada Londres 2012. A apresentação foi conduzida junto a integrantes de forças de segurança que atuarão em Belo Horizonte durante os torneios de futebol da Rio 2016. O Comando Antiterrorismo Britânico tem três mil militares.

Cerca de 400 pessoas assistiram às palestras da dupla Tremble e Pilch no Auditório Juscelino Kubitschek, na Cidade Administrativa. Os britânicos fizeram um breve histórico sobre a atuação dos terroristas ao longo das últimas décadas e falaram sobre os recentes atentados na Tunísia, em Paris e em Bruxelas e as providências que a Inglaterra tomou diante desses ataques.

Segundo Tremble, um dos maiores desafios do Reino Unido é monitorar as mídias sociais e rastrear os chamados lobos solitários, que são aquelas pessoas que se dispõem a atuar sozinhas em nome de um grupo e de uma ideologia.

“Talvez esses lobos solitários não sejam tão solitários quanto imaginamos. Eles geralmente estão em duas pessoas e agem como agentes solitários. Historicamente nós conseguimos identificar esses planos e podemos agir e intervir a tempo”, disse.

Tremble explicou que as cinco unidades do Comando Antiterrorismo Britânico têm uma rotina diária de tentar monitorar moradores  do Reino Unido que estiveram em áreas de recrutamento de seguidores de grupos terroristas, como a Síria.

O engajamento da sociedade é um dos pontos fundamentais para evitar um possível atentado terrorista, afirmou Matt Pilch. “O Reino Unido demorou para estimular e conseguir o engajamento da sociedade. Mas hoje ele já conquistou a confiança necessária para que civis liguem e façam denúncias de indivíduos e objetos suspeitos por meio de um canal telefônico gratuito e anônimo”, disse o oficial.

Tremble destacou que a boa comunicação entre agências de segurança e de inteligência força policial eficiente, com todos trabalhando em conjunto e usando todas as suas habilidades, são também essenciais para evitar que atentados terroristas aconteçam.

Os investigadores britânicos elogiaram a estrutura de Minas Gerais e os preparativos das forças de segurança do Estado. Durante a passagem por Belo Horizonte, eles visitaram as instalações no Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR), onde estarão reunidas as forças de segurança durante os jogos olímpicos e de onde serão tomadas todas as decisões referentes a essa área.

A palestra foi o resultado de uma parceria entre o Núcleo de Articulação Minas 2016, a Comissão Estadual de Segurança Pública e Defesa Civil para os Jogos Rio 2016 no Estado de Minas Gerais (COESGE-MG), coordenado pela Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), e o Consulado Britânico em Belo Horizonte.

AGÊNCIA MINAS