SOLUÇÃO EMPRÉSTIMOS

SOLUÇÃO EMPRÉSTIMOS

sábado, 6 de agosto de 2016

Temor de terrorismo mobilizou 1.800 policiais para EUA e França em BH


Pelas redes sociais, circula foto de marroquino que teria comprado ingresso para o jogo, mas polícia diz que não há foco em uma nacionalidade
O jogo entre Estados Unidos e França, válido pelo Grupo G das Olimpíadas do Rio de Janeiro 2016, é um dos mais aguardados da competição. A partida é esperada não só pelo pesos das duas equipes, mas também pelo fato de os dois países terem sido alvos de ataques terroristas, nos últimos anos.

Em meio a possibilidade de um ataque durante a partida, a Polícia Militar estará nas ruas de Belo Horizonte com o suporte de 1.800 militares. Todos fazem parte do Batalhão Olímpico, do Comando da Capital e do Grupo Especializado.

O capitão da Polícia Militar Ronam Sassada, que responde pelo Batalhão Olímpico, não admite que haja uma atenção especial para esse confronto. Contudo, ele explica que as ações de segurança estão sendo montadas em todos os dias de eventos esportivos em Belo Horizonte, independente da nacionalidade do país que está competindo.
"Assim como ocorre na partida de hoje, em todos outros dias de competições em Belo Horizonte. Na situação, nenhum policial militar folga. Todos são convocados para reforçar o policiamento. Não mudamos nossa estratégia para atender uma nacionalidade específica. Trabalhamos para garantir a segurança de todos, principalmente ao redor dos locais de jogos, de treinamento, nos grandes corredores e vias da capital", afirma o capitão.

No dia 1º de agosto, um marroquino que comprou um ingresso pela internet compareceu até o shopping Boulevard e trocou o ingresso para deste sábado entre Estados Unidos e França, que será realizado no Mineirão, na região da Pampulha.

A funcionária do local que o atendeu relatou a situação para a Polícia Militar (PM) a imagem do torcedor circula na internet, mas a polícia garante que não há um foco específico no policiamento do jogo.

"Nós estamos treinados para evitar qualquer tipo de ataque, independente de quem seja ou de qual nacionalidade seja. Estamos considerando todos os riscos para tentar fazer frente ao qualquer um. Mas não há uma pessoa específica sendo monitorada", alegou o policial.

Loca
A partida aconteceu às 17h, no Estádio Mineirão, na região da Pampulha, em Belo Horizonte.

Atentados

Desde 2010, a França registrou ao menos dez ataques. O último deles ocorreu na cidade de Nice, quando um caminhoneiro jogou o veículo em cima de diversas pessoas que estavam assistindo à queima de fogos em comemoração ao 14 de Julho, Dia da Queda da Bastilha. Na ocasião, ao menos 85 pessoas foram mortas, sendo que algumas faleceram no hospital.

Já nos Estados Unidos, a casa noturna Pulse, na Flórida, que recebia, principalmente o público LGBT, foi alto de um atirador terrorista. Na ocasião, que é tratado como o pior ataque terrorista a tiros da história, 50 pessoas morreram e 53 ficaram feridas.