SOLUÇÃO EMPRÉSTIMOS

SOLUÇÃO EMPRÉSTIMOS

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

11 MORTOS

“Não podemos colocar inocentes na cadeia”, diz advogado de PMs presos após chacina de Messejana

A defesa dos PMs pediu revogação da prisão de todos os policiais militares envolvidos na chacina

Por Matheus Ribeiro Categories.

(FOTO: Hayanne Narlla/ Tribuna do Ceará)

Os advogados dos policiais presos acusados de participação direta e indireta na Chacina da Grande Messejanaapontaram equívocos no processo de investigação do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE). As declarações foram feitas durante coletiva realizada nesta terça-feira (13), em um hotel na Praia de Iracema, em Fortaleza.

As defesas, que representam a Associação dos Cabos e Soldados, Associação dos Profissionais de Segurança e Associação dos Oficiais, destacaram alguns pontos, como a situação de dois policiais que estariam presos sem sequer ter sido ouvidos pela Controladoria Geral de Disciplina.

De acordo com o advogado Regis Menezes, que representa os policiais que estavam na viatura 1307, todos os policiais envolvidos na denuncia estão sendo acusados de 11 homicídios duplamente qualificados, duas tentativas de homicídios duplamente qualificadas e quatro crimes de tortura.

No entanto, segundo o profissional, há policiais que não possuem indícios de envolvimento, inclusivo os que ele defense juridicamente. “Estou defendendo a viatura 1307, o Tiago, o Gerson e o Josiel. Eles receberam missões para estar num local próximo onde ocorreu a chacina. Então, eles estão sendo acusados de matar uma pessoa que, na verdade, eles socorreram no momento que estava acontecendo a chacina”, disse.

TRIBUNA DO CEARÁ