SOLUÇÃO EMPRÉSTIMOS

SOLUÇÃO EMPRÉSTIMOS

domingo, 25 de setembro de 2016

"A Sociedade precisa nos conhecer melhor" - Sistema Penitenciário Brasileiro



Como Humanizar ou melhorar o Sistema Penitenciário Brasileiro, se quem Assegura, Cuida e trata das renovações de valores Sociais e Administra o Cárcere é visto e tratado sem a verdadeira Dignidade Humana... 


SOMOS HUMANOS PÔXA!

Profissionais do Cárcere. (Assim Muda e Melhora!)

Você sabia que:

Prender é tão antigo, quanto manter preso ou encarcerado, privado de liberdade.
Que desde os tempos mais remotos, sempre existiu “cadeia”, e que sempre foi um ambiente perigoso, estressante e insalubre. Um lugar que ninguém quer para si.
Que desde sempre, existe uma aversão, revolta gratuita, do Delinquente aprisionado por quem o mantém preso (Inspetor, Agente Penitenciário, carcereiro ou Guarda Prisional) Brasil afora.
Que a Sociedade em sua grande maioria “Não” conhece a importância de quem trabalha no Cárcere e que na maioria dos casos, nos veem como torturadores ou usurpadores de direitos, trogloditas e com um aspecto amedrontador e ou também como um “Policial”, “Que não somos”.
Que esta mesma Sociedade afasta os maus feitores delinquentes do seu meio social e os empurram para que nós, Agentes, Inspetores Prisionais ou Penitenciário tomemos conta, mantendo-os presos ou encarcerados em verdadeiros depósitos.
Que ninguém nasce com o propósito de trabalhar em Cadeia ou quando criança sonha em ser Agente, Inspetor, Guarda, ou seja, um Servidor Penitenciário...
Que funções como: Inspetor Penitenciário, Agente prisional, Agente de escolta, Agente Socioeducativo, Guarda de Cadeia e ou outras denominações apelidadas; só existem na pratica e não são “Regulamentadas” em nosso Brasil, ou seja, será que somos alguém?


Na verdade, somos: Ferramentas de quem detém o Poder.

E aí eu continuo!

Você sabia:
Que ao nos tornarmos um profissional do cárcere e ao conhecermos as mazelas do sistema, imaginamo-nos logo estudando para passar em outro concurso público, porém esquecemo-nos, que, em não alcançando o objetivo, nos vemos ganhando tempo e nos tornando antigo numa categoria com uma carreira funcional discutível e ou inexistente, a qual, depois de tempos, é que paramos para pensar no que somos ou não somos.
Que com o tempo, a nossa atividade laborativa (trabalho), maltrata, destrói a mente, faz com que nos sintamos perseguidos por todos; (Bandidos, Policiais, políticos, ativistas de Direitos Humanos e todo Cidadão).
Que em pouco tempo somos levados a conhecer o afastamento do trabalho para tratamento médico hospitalar em razão dos problemas adquiridos na função.
Que ao completarmos 35 anos de trabalho duro e com grande quantidade de problemas de saúde adquiridos, paramos e notamos que o tempo passou. Aí perguntamos; O QUE SERÁ? Quando vou “aposentar-me”? É aí que se percebe, que temos uma carreira desvalorizada, mentirosa, sem perspectiva e sem nada definido quanto ao ser o que somos.
É..... Sabemos que no fundo, você sabe de tudo isso, mas nunca se questionou sobre esses fatos.
Fazer crítica destrutiva é muito fácil! Não queremos fazer intrigas ou desrespeitar a quem quer que seja.
Não é nosso interesse dividir a categoria falando mal de alguém. Basta, os mais variados grupos de “estrelas” que vivenciam o enfrentamento nos “”Cabos de Guerra desnecessários””. A nossa finalidade é somar com propostas que possam melhorar a instituição, a qual trabalhamos e também, todo o Sistema Penitenciário (Brasil a fora).
*(Dê a sua opinião! Colabore com sua ideia! Vamos somar!)

Como Humanizar ou melhorar o Sistema Penitenciário Brasileiro, se quem Assegura, Cuida e trata das renovações de valores Sociais e Administra o Cárcere é visto e tratado sem a verdadeira Dignidade Humana... "A Sociedade precisa nos conhecer"!!
*******************SOMOS HUMANOS*******************

“100% Profissional do Cárcere”// Assim Muda e Melhora!

*******Você sabia que:
Prender é tão antigo, quanto manter preso ou encarcerado, privado de liberdade.
Que desde os tempos mais remotos, sempre existiu “cadeia”, e que sempre foi um ambiente perigoso, estressante e insalubre. Um lugar que ninguém quer para si.
Que desde sempre, existe uma aversão, revolta gratuita, do Delinquente aprisionado por quem o mantém preso (Inspetor, Agente Penitenciário, carcereiro ou Guarda Prisional) Brasil afora.
Que a Sociedade em sua grande maioria “Não” conhece a importância de quem trabalha no Cárcere e que na maioria dos casos, nos veem como torturadores ou usurpadores de direitos, trogloditas e com um aspecto amedrontador e ou também como um “Policial”, “Que não somos”.
Que esta mesma Sociedade afasta os maus feitores delinquentes do seu meio social e os empurram para que nós, Agentes, Inspetores Prisionais ou Penitenciário tomemos conta, mantendo-os presos ou encarcerados em verdadeiros depósitos.
Que ninguém nasce com o propósito de trabalhar em Cadeia ou quando criança sonha em ser Agente, Inspetor, Guarda, ou seja, um Servidor Penitenciário...
Que funções como: Inspetor Penitenciário, Agente prisional, Agente de escolta, Agente Socioeducativo, Guarda de Cadeia e ou outras denominações apelidadas; só existem na pratica e não são “Regulamentadas” em nosso Brasil, ou seja, será que somos alguém?
“””Na verdade, somos: Ferramentas de quem detém o Poder”””
E aí eu continuo!
Você sabia:
Que ao nos tornarmos um profissional do cárcere e ao conhecermos as mazelas do sistema, imaginamo-nos logo estudando para passar em outro concurso público, porém esquecemo-nos, que, em não alcançando o objetivo, nos vemos ganhando tempo e nos tornando antigo numa categoria com uma carreira funcional discutível e ou inexistente, a qual, depois de tempos, é que paramos para pensar no que somos ou não somos.
Que com o tempo, a nossa atividade laborativa (trabalho), maltrata, destrói a mente, faz com que nos sintamos perseguidos por todos; (Bandidos, Policiais, políticos, ativistas de Direitos Humanos e todo Cidadão).
Que em pouco tempo somos levados a conhecer o afastamento do trabalho para tratamento médico hospitalar em razão dos problemas adquiridos na função.
Que ao completarmos 35 anos de trabalho duro e com grande quantidade de problemas de saúde adquiridos, paramos e notamos que o tempo passou. Aí perguntamos; O QUE SERÁ? Quando vou “aposentar-me”? É aí que se percebe, que temos uma carreira desvalorizada, mentirosa, sem perspectiva e sem nada definido quanto ao ser o que somos.
É..... Sabemos que no fundo, você sabe de tudo isso, mas nunca se questionou sobre esses fatos.
Fazer crítica destrutiva é muito fácil! Não queremos fazer intrigas ou desrespeitar a quem quer que seja.
Não é nosso interesse dividir a categoria falando mal de alguém. Basta, os mais variados grupos de “estrelas” que vivenciam o enfrentamento nos “”Cabos de Guerra desnecessários””. A nossa finalidade é somar com propostas que possam melhorar a instituição, a qual trabalhamos e também, todo o Sistema Penitenciário (Brasil a fora).
***“História”!! Imaginemos os negros africanos quando vieram “escravos” para o Brasil; foram trazidos de diversas regiões, com diferentes idiomas e etnias. Foram também divididos nas mais variadas terras do nosso imenso Brasil. Com a dificuldade de se comunicar por conta do idioma e da etnia diferente, permaneceram escravos por muito tempo. Hoje, busca-se o reconhecimento, a valorização e a importância do Afrodescendente em solo Brasileiro.
***"As Policias": “Federal, Civil e principalmente a Militar”, durante muitos anos foram comandadas por Homens indicados pelos Governos, em sua grande maioria; Generais de Exército, porém, batalharam pela autonomia e um comando Próprio, que hoje, os fazem administrar a si mesmos.
**Será que era bom ser comandado por alguém de fora e ditando as regras?
Lembro que nesse tempo, o “Policial Militar” andava fardado, só tinha “Porte de Arma” em serviço e ao ir para casa, entravam pela porta da frente dos ônibus com o coldre vazio.
*** PRECISAMOS ENCONTRAR O EQUILÍBRIO***
Curiosidade! Hoje, qualquer um, quer comandar este sistema Penitenciário falido.
Porque será?
Hoje, em todo o território Brasileiro, o Sistema Penitenciário é marginalizado, minimizado aos extremos, subjugado, sucateado e comandado por quem não promove a inclusão e a constituição de uma corporação forte. Somos Homens e Mulheres capazes de mostrar a sociedade o nosso verdadeiro valor, mantendo o infrator bem custodiado, seguro e desenvolvendo a principal atividade fim. 

Queremos “Ser” nós mesmos; Profissionais do Cárcere.

Chegou a hora de mentalizarmos uma nova filosofia profissional e acreditar que somos capazes de difundir novos ideais, com a certeza de que é possível “SER” e não “ESTAR”. Valorizar o que é nosso: (o Homem, a Mulher, o Profissional, o Tempo de serviço, a Qualificação, a Capacidade, o Trabalho, o Sistema Penitenciário Brasileiro).
Formamos um conjunto de Profissionais das mais variadas áreas de atuação (Médicos, Psicólogos, Enfermeiros, Odontólogos, Assistentes Sociais, Professores, Advogados, Engenheiros e outros. Merecemos o Respeito da Sociedade e principalmente dos Governos Estaduais e Federal, quanto às nossas necessidades de inclusão, inserção e Reconhecimento Profissional em uma das atividades mais estressantes, perigosa e antiga no mundo.