,

,

Receba publicações por e-mail

SOLUÇÃO EMPRÉSTIMOS

SOLUÇÃO EMPRÉSTIMOS

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Polícia descobre túnel ‘inspirado em assalto ao Banco Central’

A polícia encontrou na noite dessa quarta-feira (27) um túnel de aproximadamente 15 metros cavado a partir de uma casa alugada, ao lado do terminal férreo da empresa Cattalini Terminais Marítimos, em Paranaguá, litoral do Paraná.

O caso fez os policiais lembrarem do assalto ao Banco Central, em Fortaleza, em 2005. “Acho que assistiram o filme e tentaram fazer igual. Se inspiraram naquele caso.”, disse o policial militar Alexandre Henrique Silva de Lima.

A descoberta partiu da ligação da proprietária da casa ao 190 da Polícia Militar. Os policiais foram verificar a casa, nas proximidades da linha férrea, no bairro jardim Santa Rosa, e viram que havia um túnel cavado.

A casa estava alugada a um homem e, segundo proprietária, havia três moradores. Ela informou à polícia que foi até o imóvel, no intuito de cobrar o aluguel.

Chegando lá, ela percebeu que não havia ninguém na casa e que possivelmente os inquilinos teriam ido embora sem pagar o valor devido. Ao entrar na casa, percebeu a grande quantidade de terra e o buraco em um dos quartos.

“Ela [dona da casa] se impressionou, com toda logística que empregaram, impressionou a ela e a todos os policiais. A espessura para transitar, parece que pensaram muito bem antes de fazerem o serviço. Trabalho profissional.

Investigação

De acordo com a polícia, o túnel seria usado para furtar valores da empresa de óleo vegetal que fica do outro lado da linha férrea. A empresa faz transporte do combustível até os navios que atracam no Porto de Paranaguá.

“Eles não conseguiram concluir o túnel por causa de uma barreira de concreto construída abaixo da linha férrea”, conta o aspirante Lima.

A Polícia Civil tenta identificar os inquilinos. Em uma primeira tentativa, os policiais militares não conseguiram ouvir a vizinhança. As pessoas temem retaliações. “Tentamos falar com as pessoas, mas sabe como é, ninguém viu nada, ninguém sabe de nada”, lamenta o policial.

A proprietária da casa redigiu um ‘contrato de gaveta’ com o inquilino. Mesmo assim, documentos foram utilizados para registrar em cartório. “Os documentos são de outro Estado. Isso atrasa um pouco a investigação”, diz.

A Polícia Científica deve periciar a casa. Em seguida, técnicos da empresa Cattalini também irão avaliar o túnel.

Assalto ao Banco Central

O caso lembra o assalto ao Banco Central, em Fortaleza (CE), em que foram levados R$ 164,8 milhões em 2005. O caso teve, ao todo, 133 pessoas denunciadas em 28 ações penais – 26 já julgadas. Apesar da centena de denunciados, apenas 36 participaram diretamente do roubo ao banco, ocorrido entre a noite do dia 5 e manhã de 6 de agosto de 2005, por meio de um túnel de 78 m de comprimento, 70 cm de largura e 4 metros de profundidade. Os outros se envolveram posteriormente.

Dos 36 que executaram o crime, apenas dois nunca foram presos: José Antônio Artenho da Cruz, conhecido como “Bode” (condenado a 27 anos e sete meses de prisão), e Juvenal Laurindo (16 anos de prisão).

Portal do Paraná