,

,

Receba publicações por e-mail

SOLUÇÃO EMPRÉSTIMOS

SOLUÇÃO EMPRÉSTIMOS

.

Pacto de Desassociação em Massa chega de da dinheiro para associações pelegas

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Ex-corregedor: Jean Wyllys feriu decoro ao cuspir em Bolsonaro


O ex-corregedor da Câmara dos Deputados, Carlos Manato (SD-ES), disse nesta quinta-feira (17), como testemunha no processo contra o deputado Jean Wyllys (Psol-RJ) no Conselho de Ética, que o parlamentar feriu o decoro parlamentar ao cuspir no colega Jair Bolsonaro (PSC-RJ) e defendeu a suspensão de seu mandato por um a seis meses.
Arrolado pelo relator do caso, deputado Ricardo Izar (PP-SP), Manato explicou que, na época em que recebeu a representação contra Wyllys, a corregedoria estudou “a fundo” e chegou a um período para a sanção que preferiu não declarar ao colegiado.
“O critério de 1 a 6 meses vai ficar para o Conselho. Se dependesse de nós, daríamos suspensão por um tempo, mas não seria o tempo mínimo. Achamos que tem que ter um afastamento temporário. Chegamos a um número, mas não vou falar qual seria este número para não induzir”, explicou.
Segundo Manato, a corregedoria considerou a reação de Wyllys como uma “falta gravíssima”, mas considerou que perda de mandato seria “muito grave” e advertência escrita “muito simples”. O órgão decidiu deixar a representação nas mãos do Conselho de Ética “monocraticamente decidir a suspensão de mandato seria incoerente da nossa parte”, afirmou.