,

,

Receba publicações por e-mail

SOLUÇÃO EMPRÉSTIMOS

SOLUÇÃO EMPRÉSTIMOS

.

Pacto de Desassociação em Massa chega de da dinheiro para associações pelegas

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Impedir bomba de gás e bala de borracha aumenta violência, diz PM-SP


A cidade de São Paulo registra mais de duas mil manifestações por ano, segundos dados da Polícia Militar. E os confrontos entre policiais militares e manifestantes, já comuns ao noticiário, devem ficar ainda mais violentos com a recente decisão que proibiu a PM-SP de usar, exceto em casos extremamente necessários, bombas de efeito moral e balas de borracha. A opinião é do coronel Nivaldo Restivo, da Tropa de Choque paulista.

“Vamos usar aquilo que tínhamos antes de ter as ferramentas de baixa letalidade [cassetete]. Não há muito que ser feito”, afirma Restivo. O coronel afirma que a decisão será cumprida, mas diz que o aumento da violência ocorrerá porque a PM-SP tem um planejamento de contenção de distúrbios em escalas, que são aplicadas de acordo com o nível de conflito. “Suprimir alguma dessas etapas significa passar imediatamente à próxima. Por exemplo, não posso usar munição química, que mantém o manifestante à distância, e ele vai se aproximar. Com ele se aproximando, o próximo passo é o uso do cassetete, que pode causar mais danos”, diz.