,

,

Receba publicações por e-mail

SOLUÇÃO EMPRÉSTIMOS

SOLUÇÃO EMPRÉSTIMOS

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Pimentel e Comandante-Geral da PMMG estão querendo derramamento de sangue



Os servidores da segurança pública de Minas Gerais queimaram caixões em frente a Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) na tarde desta quarta-feira, 16/11/2016, ocasião em que manifestaram contra os atos do Governador do Estado, Fernando Pimentel, do PT.

Na oportunidade, os servidores lotaram as galerias e gritaram "Pimentel ladrão", quando o deputado Ulisses Gomes fazia a leitura do parecer do relator Rogério Correia (PT), favorecendo o governador Fernando Pimentel, que é investigado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. 

Já o presidente da Assembleia Legislativa, Adalclever Lopes, também da base governista, convocou a tropa de choque da Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG). O deputado Sargento Rodrigues denunciou que o Comandante-Geral da PM, Coronel Marco Antônio Badaró Bianchini, com esta atitude de enviar a tropa de choque, estava querendo derramamento de sangue entre os servidores da segurança pública, da reserva e reformados, de um lado, e os policiais militares do pelotão de choque, de outro lado.

Na ocasião, o deputado Sargento Rodrigues levou cerca de 300 manifestantes até a capela da ALMG, onde estava o pelotão de choque da PMMG. Durante o encontro, Rodrigues e os presidentes das entidades de classe esclareceram que a luta é em defesa de todos os servidores da segurança pública, da ativa, da reserva, aposentados e reformados. Eles cantaram o hino da polícia militar e todos os policiais do choque foram abraçados pelos colegas.

“Infelizmente o Comandante-Geral da PM vestiu a camisa do PT e pregou sua estrela no peito, abandonando a tropa e tentando, nos bastidores, colocá-la contra as lideranças de classe e políticas”, destacou Sargento Rodrigues.