SOLUÇÃO EMPRÉSTIMOS

SOLUÇÃO EMPRÉSTIMOS

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Presidiárias de Bicas II sofrem com falta de itens básicos de higiene


As detentas do presídio de São Joaquim de Bicas II, localizado na região metropolitana de Belo Horizonte, estão utilizando miolo de pão e papel higiênico como absorvente íntimo. A denúncia foi feita nesta terça-feira (9) pela Comissão de Assuntos Carcerários da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).
O advogado criminalista, Fábio Piló, que é presidente da comissão, disse ter recebido a denúncia de um dos diretores do presídio. "Há dois meses, o Estado não paga as empresas responsáveis pelo fornecimentos de produtos essenciais de higiene básica. Com isso, mais de 3.700 presas de Minas são afetadas", pontuou.
Para tentar ajudar, os membros da Comissão de Assuntos Carcerários da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) se uniram para comprar o produto para as detentas. "Arrecadamos pouco mais de R$ 1.000 e compramos os 3.600 absorventes para as presas. Em contato com o Estado, ele se comprometeu em pagar ao menos um boleto e tentar resolver a situação", relatou Piló.
Na visão do advogado, a situação ficará pior. "O Estado está passando por uma fase de calamidade econômica e a tendência é só piorar. A estratégia do governo é atrasar ao máximo três boletos com as empresas fornecedoras de produtos e, quando não der mais para enrolar, pagar uma conta para continuar prorrogando o pagamento dos outros débitos", afirmou o presidente da comissão.