SOLUÇÃO EMPRÉSTIMOS

SOLUÇÃO EMPRÉSTIMOS

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Aos 63 anos, pensionista do Estado faz bico para sobreviver: ‘A despensa está vazia’



Aos 63 anos, Maria da Glória Barboza Nascimento está de volta ao trabalho. O salário é o de menos para a pensionista da Polícia Militar. Sem receber nada em dezembro (a pensão vai começar a cair em sua conta apenas em janeiro), Dona Glorinha, como é conhecida em Vista Alegre, bairro onde mora, já não sabe o que fazer.
— Tenho medo de fazer uma besteira. As minhas despensas estão todas vazias. Tenho um panetone grande e só. Não tenho dinheiro para pagar as minhas contas. Estou devendo a conta de luz, a conta de água. Não tenho como negociar mais nada. Estou sem saída — desabafa.
Segundo Dona Glorinha, o jeito, nas últimas semanas, foi começar a trabalhar num pequeno comércio perto de sua casa, na Rua Ponta Porã. No pequeno R$ 1,99, a pensionista ajuda os proprietários e recebe os clientes no balcão. O salário, neste momento, é o de menos.