,

,

Receba publicações por e-mail

SOLUÇÃO EMPRÉSTIMOS

SOLUÇÃO EMPRÉSTIMOS

.

Pacto de Desassociação em Massa chega de da dinheiro para associações pelegas

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Fala sério: ABRE AS CONTAS SINDPOL !


*PAPO RETO, SEM ESCAMA*

Na medida em que os policiais civis vão se dando conta da realidade que os cerca, o comodismo e descrença vão gerando espirito de indignação, que são os combustíveis pra conscientização da categoria policial e o ímpeto de mudanças que se impõe.

O policial civil encontra-se desamparado, por um governo e uma administração do órgão que o relega a própria sorte, e mais recentemente, por um SINDPOL / MG que nem de longe se "equipara" a ferramenta de luta de outrora.

O movimento sindical autêntico,  deu lugar a conchavos de bastidores, inconfessáveis pra virem à tona e chegar ao conhecimento do policial.  Acordos firmados em prol de toda categoria cederam espaço à negociações de varejo pra indicações de apaniguados em postos de "coordenação".

Mas que coordenação? Não há coordenação,  não há gestão, não há projetos, não há viaturas adequadas, armamento adequado, instalações equipadas,  policial motivado, salarios em dia, progressões e promoções asseguradas.

A Policia Civil vive o caos Robesiano. Em franco colapso que precede o apagão. E onde estão os dirigentes do SINDPOL/MG? O Secretario Municipal de Segurança  Publica de Santa Luzia - que nas horas vagas é o presidente da entidade - se ocupa mais com a remoção de ambulantes, do que com o reconhecimento e valorização do policial. A categoria foi literalmente deixada de lado, pois gestão sindical do SINDPOL / MG inexiste, existem sim, alguns poucos aduladores que advogam pelo imobilismo despolitizante, visto ser a melhor forma de escamotear o vínculo sindical com o governo e a administração de ocasião. Quem paga a conta é o policial, mas quem "vende" e "recebe" por isso não é dificil imaginar.

Diante da flagrante inércia do SINDPOL / MG, policiais civis que se preocupam efetivamente com seus futuros, seus pares e a própria PC passaram a se interessarem por sindicato. Com conhecimento incipiente, passaram a estudarem o estatuto do SINDPOL / MG e compará-los a estatutos de outras entidades sindicais de PCs no Brasil. Mesmo estando em Minas, a maior dificuldade foi localizar o estatuto do proprio SINDPOL/MG, Pasmem! Ao contrário de outras entidades sindicais, o estatuto fo SINDPOL / MG não está disponivel no site, já se perguntaram o por que?  A resposta é simples. Fato é que a pesquisa teve que ser feita no cartorio de registros e aí que veio a ingrata surpresa.

Segundo o que consta no estatuto do SINDPOL / MG - que foi modificado pela diretoria sabe-se lá como - pra votar nas eleições tem que estar filiado há pelo menos um ano. Pra ser votado a exigência, na verdade é uma excrescência: o postulante a cargo na diretoria obrigatoriamente deve ter votado no pleito anterior. Essas previsões estão em total desacordo com o que preconiza a CLT em seu artigo 529, que prevê tão somente a necessidade de seis meses de filiação pra votar e ser votado.

Aonde Denilson Martins buscou inspiração pra impor essa exigência no estatuto à base da policia civil? No regime castrista em Cuba, no comunismo norte-coreano ou no seu projeto de eterno "candidato a politico" fracassado em franca decadência frente aos sucessivos insucessos eleitorais decadentes eleição após eleição? Pode ter sido em qualquer lugar, menos nos estatutos dos sindicatos das PCs nos Estados, onde inexistem esses mecanismos cerceadores. Estarão os demais sindicatos equivocados em seus estatutos, e o SINDPOL/MG na vanguarda, será?
Fica aqui a oportunidade pro presidente, ou algum de seus ainda poucos asseclas se manifestarem objetivamente, mas não é crivel que o façam.  Estão apenas preocupados em manterem suas posições.

Desta feita, um grupo de policiais civis passou a coletar assinaturas dos filiados ao SINDPOL/MG pra mudar essa regra, objetivando atingir 15% dos filiados. Mas quantos seriam no total o número de assinaturas correspondentes a 15% dos filiados? Precisava dessa informação. Foi requerida ao SINDPOL/MG, que através do seu presidente se negou a fornecer a informação e sequer deu resposta. Mais ainda, alegou que nem receberia requerimento de filiado que indagasse sobre a situação da entidade. Que quem quisesse, que judicializasse a demanda, ou então, que partisse pro enfrentamento.

Qual o receio de dar transparência às informações,  que de ante mão,  deveriam estarem disponíveis aos filiados?  É a quantidade de agentes penitenciarios que fazem parte do quadro de filiados? É o cruzamento do número de filiados com o valor da mensalidade, através do qual pode-se estimar a arrecadação mensal?

Fala sério: ABRE AS CONTAS SINDPOL !