,

,

Receba publicações por e-mail

SOLUÇÃO EMPRÉSTIMOS

SOLUÇÃO EMPRÉSTIMOS

.

Pacto de Desassociação em Massa chega de da dinheiro para associações pelegas

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

"Obrigado Renata pela divulgação: Abraços fraternos e continue com esse ótimo trabalho de valorização dos Força de Segurança de Nossa País, sobretudo, da querida Minas Gerais.SALVAR!"


NA HORA CERTA NO LUGAR CERTO Bombeiro de folga salva a vida de banhista em Furnas O sargento do Corpo de Bombeiros Militar Wevertton Vilela de Andrade, que trabalha no pelotão de Piumhi, jamais imaginaria que durante um passeio de fim de semana com a namorada e os sogros no ponto conhecido como Cascatinha (represa de Furnas) no município de São José da Barra, se viria às voltas com uma situação que exigiria um misto de raciocínio rápido, coragem e preparo. Na tarde do domingo, 8, em meio a mais de uma centena de turistas, um agente penitenciário morador de Guaxupé (Sul de Minas) sofreu uma queda sobre as rochas caindo de cerca de 6 metros de altura. Desacordado, foi levado pelas águas do ribeirão até o desnível da cachoeira, chegando à represa e submergindo desacordado. Ao ver a cena, o sargento mesmo de folga não hesitou e mergulhou alcançando e resgatando o homem. O bombeiro militar conseguiu retirá-lo da água e precisou improvisar o primeiro atendimento. Com o punho fraturado e traumatismo craniano, a vítima foi imobilizada de forma improvisada até a chegada das equipes. Cleiton Aparecido Egidio, 32 anos, estava com um grupo de amigos. Socorrido, ele foi levado consciente até a Santa Casa de Passos. O helicóptero Arcanjo 3 do Corpo de Bombeiros, baseado em Varginha (Sul de Minas) chegou a deslocar até o ponto do acidente, mas o agente já havia sido transportado para o hospital. “Utilizei boias usadas normalmente em piscinas para fazê-lo flutuar e trazê-lo com mais facilidade para a margem, um boné como colete cervical improvisado e uma sandália de borracha para imobilizar o punho fraturado”, conta o bombeiro durante passagem pela Redação do ALTO na quarta, 11. E complementa, “naquelas circunstâncias, ao submergir ferido e inconsciente, com certeza morreria”. Ele revela que, em 9 anos de carreira na corporação passou por inúmeras situações, mas foi a primeira na qual salvou uma vida fora de seu expediente de trabalho. “É algo muito gratificante, mas fiz o que deveria ter feito e qualquer bombeiro militar faria em meu lugar”, frisa. Vilela de Andrade aproveita para repassar algumas dicas de segurança durante o Verão. “Principalmente em cachoeiras, nunca ingerir bebidas alcoólicas, evitar tirar selfies em pedras escorregadias, observar a aproximação de trombas d’água redobrando a atenção em dias com previsão de chuva e, mesmo sabendo nadar, não abrir mão do colete salva-vidas, além de uma atenção maior para com as crianças”, lista. “Meu sonho desde criança era ser bombeiro, uma vocação herdada do meu pai Valdemar Ribeiro que está há 28 anos na corporação e algo assim com certeza nos gratifica muito, pois a nossa principal missão é salvar vidas”, conclui o sargento Wevertton Vilela de Andrade.