,

,

Receba publicações por e-mail

SOLUÇÃO EMPRÉSTIMOS

SOLUÇÃO EMPRÉSTIMOS

sábado, 7 de janeiro de 2017

PM morto estava desarmado porque polícia não emitiu registro de arma


A falta de papel para a emissão do certificado de registro de arma de fogo teria contribuído para a morte do policial militar Evaldo César Silva de Moraes Filho, segundo a mãe do PM afirmou na tarde desta segunda (9), durante o enterro do filho. “Por causa de um pedaço de papel para o meu filho usar uma arma, que ele suou para comprar. Um papel que não tem no Estado. Um papel. Mas eles têm avião, navio, ouro”, lamentou a mãe do policial durante o enterro no cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, na Zona Norte do Rio.
De acordo com ela, ele só estava desarmado porque ainda não tinha o registro de arma de fogo, que é um documento necessário para que os policiais usem armas particulares que não sejam da corporação. O secretário de Segurança Pública do Estado do RJ, José Mariano Beltrame, admitiu que o policial estava desarmado porque está faltando papel para o certificado de registro de arma de fogo, chamado de Craf.