O deputado Jair #bolsonaro tem arrastado uma legião de fãs na proporção em que recebe críticas, fato facilmente observado por meio de redes sociais. Devido à possível candidatura do político nas próximas eleições presidenciais, fãs do Brasil inteiro lançam campanhas na internet em defesa do político, tendo como finalidade fortalecer o movimento intitulado de#SOMOSTODOSBOLSONARO.

Sendo assim, a hashtag elencada acima surgiu para apoiar o candidato à presidência em 2018. Verifica-se que membros de grupos progressistas decidiram iniciar uma contra-resposta no próprio #twitter. Deste modo, criaram postagens irônicas utilizado a hashtag de Bolsonaro, o objetivo era ironizar o movimento em prol do político.
A repercussão foi enorme, pois a disputa de apoiadores x opositores, fez com que a hashtag de Jair fosse para o ranking de assuntos mais comentados e acessados do twitter. Destaca-se que os opositores usavam gifs e memes engraçados para criticar de maneira cômica as ideias defendidas pelo deputado, bem como para desaprovarem a campanha dos eleitores do candidato.
Sabe-se que Bolsonaro é considerado um dos políticos brasileiros mais polêmicos, pois luta abertamente contra ideias progressistas e defende ideias consideradas conservadoras. Sem contar que já chamou a atenção da mídia por declarar apoio ao Coronel Ustra, questão que quase permitiu que aprovassem a cassação do mandato dele - além disso, já participou de confusões com o deputado Jean Wyllys.
O Twitter é utilizado como uma ferramenta para medir o nível de interesse de cidadãos de um país sobre um determinado assunto, medindo a visualização de um tema. Nesse sentido, grupos LGBT orientados pela cantora Inês Brasil criaram uma outra campanha que almeja ir contra tudo o que Bolsonaro defende.
Ante o exposto, a cantora convocou participantes de grupo LGBT bem como minorias para twitarem e aderirem a campanha de hashtag criada por ela, que propõe postagens com a chamada #SomosTodosInesBrasil.
Diante do redigido, verifica-se que a principal finalidade da criação da campanha no Twitter em prol de Jair tinha como função divulgar e estimular a candidatura dele para à presidência de 2018, entretanto grupos que não apoiam o político brasileiro não aprovaram a medida.