,

,

Receba publicações por e-mail

SOLUÇÃO EMPRÉSTIMOS

SOLUÇÃO EMPRÉSTIMOS

.

Pacto de Desassociação em Massa chega de da dinheiro para associações pelegas

terça-feira, 30 de maio de 2017

REUNIÃO COM O CHEM

Cara Renata, bom dia!

Sou Oficial da PMMG e observando a postagem referente a reunião do Oficiais da atividade meio, no auditório da EFAS, na data de ontem, entendo a insatisfação de alguns, mas não concordo com o que foi relatado pelo nobre amigo, mas creio que esse tipo de comentário emitido por outro Oficial para fomentar a discórdia entre Oficias e praças da PMMG é totalmente inverídico.
Na reunião conduzida pelo Sr. Cel Leão, foram tratados assuntos importantíssimos de interesse de toda a tropa, tanto na restruturação da PMMG como um todo, bem como as questões afetas aos nossos “direitos” ou as “expectativas de direito” que adquirimos ao longo dos últimos 20 anos.
Neste sentido, percebo que o ilustre Oficial foi infeliz em apenas destacar os aspectos que ele interpretou como sendo “caça as bruxas” e “retorno aos anos de 1997” os quais eu também vivenciei como praça e sei bem qual era a realidade naquela época.
Como gestor que somos, o nobre Oficial deveria sim quando foi aberta a palavra pelo Sr. Cel Leão, ter se manifestado para expor seu ponto de vista e até mesmo solicitar esclarecimentos a respeito do que talvez ele não tenha intendido, mas todos simplesmente não fizeram nenhum questionamento, partindo do pressuposto que concordaram com o que foi dito, isso sim seria louvável.
Mas logo após a reunião abstrair apenas aspectos negativos que “ele” entendeu assim, e fomentar uma discórdia gratuita entre a nossa classe, isso é no meu ponto de vista inadmissível e lamentável.
Discordar é salutar para a democracia, e só engradece a corporação, mas existem meios para que isso seja feito.
Assim, gostaria de destacar algumas questões abordadas na reunião para esclarecer o que foi levado ao nosso conhecimento.
Sobre as nossas expectativas de direito: Manter a nossa paridade é uma prioridade do comando e já que não estamos tendo ganho em virtude da crise que assola todo o país, o comando está trabalhando para evitar perdas diante do cenário político atual e manter o que já conquistamos; outro aspecto foi a valorização dos policiais militares que trabalham corretamente e os que trabalham “mau” serem responsabilizados pelos seus atos e acabar com o “paternalismo” que se implantou em nossa Gloriosa, o que é realmente nefasto para nossa disciplina e hierarquia, bases da PMMG, o que é notório nos dias atuais.
Nas questões referentes a Instituição: foi falado sobre a substituição de viaturas de toda a PM a médio prazo, por veículos novos principalmente para o interior do Estado que geralmente recebem viaturas usadas da Capital; a criação de uma fábrica de coletes de melhor qualidade e mais barato do que temos hoje na PM, que são superfaturados, o que irá economizar para o Estado; restruturação de toda a PM no que tange a distribuição do efetivo buscando atender as necessidades e os anseios da sociedade de todo Estado com um efetivo mínimo em cada destacamentos, pelotões e Cias (restruturação da PM); enxugar a administração permanecendo o número suficiente para que a administração das Unidades funcionem, inclusive terceirizando algumas atividades administrativas, o que já ocorre em vários setores e não é novidade para ninguém.
Para não delongar demais, concito a todos que façam uma reflexão sobre essas questões e verifiquem a veracidade de tais comentários.
Temos que ter discernimento e sermos maduros para entender que estamos no mesmo barco, e que se o capitão do navio, não o comandar de forma responsável e inteligente, toda a tripulação irá perecer. Estamos no mesmo barco e nenhum Oficial estava ali de brincadeira.
Não nos foi pedido nada pelo Sr. Cel Leão que já não sabemos que deve ser feito. O que nos foi solicitado é que confiemos no comando e trabalhemos como verdadeiros servidores públicos, servindo e protegendo a sociedade mineira e nada mais.
Não estou aqui para defender A ou B, mas não posso me calar diante de tamanha inverdade dita pelo nosso ilustre Oficial.
Para finalizar, trago a todos uma reflexão:
Matheus 12:25 Jesus, porém, penetrando nos seus pensamentos, disse: Todo reino dividido contra si mesmo será destruído. Toda cidade, toda casa dividida contra si mesma não pode subsistir.
Não é hora de ficarmos fomentando discórdias e inverdades no seio da tropa. Oficias e praças estão e devem permanecer unidos, pois assim continuaremos uma corporação na qual a sociedade mineira confia.
Forte abraço.

Ten PM