,

,

Receba publicações por e-mail

SOLUÇÃO EMPRÉSTIMOS

SOLUÇÃO EMPRÉSTIMOS

.

Pacto de Desassociação em Massa chega de da dinheiro para associações pelegas

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Opinião; Ratos, baratas e doenças como sarna, HIV, tuberculose e sífilis são comuns em presídios brasileiros


Assistindo um programa de televisão, que mostrou a realidade de presídios no Brasil e algumas comparações esfarrapadas com outros países, observei alguns fatos: nossos presídios, em sua maioria, são lugares horrorosos, cheios de ratos, baratas, catinga, doenças, principalmente doenças de pele e respiratórias, e ainda a AIDS; a superlotação também é uma realidade. Qualquer pessoa com um mínimo de inteligência e vergonha na cara, lutaria bravamente para não ir parar em um lugar desses, vivendo uma vida normal, sem praticar crimes que poderia custar sua liberdade, mas de forma inacreditável, todos os dias centenas de idiotas, verdadeiros lixos, insistem em cometer crimes e acabam na maioria dos casos fazendo parte dessa população carcerária que em sua maioria vive nesses presídios que são verdadeiros calabouços. Não tenho dó. Existe o livre arbítrio e quem comete crimes no mínimo deve ou pelo menos deveria conhecer a realidade de nossos presídios e cadeias. Cometeu crime? Depois não adianta reclamar. Vi ainda que segundo o Ministério da Justiça, cada preso de presídio Federal, custa por ano mais de 45.000,00 (quarenta e cinco mil reais), ou seja, quase 4.000,00 (quatro mil reais) por mês, montante esse que a imensa maioria dos Brasileiros não recebe de salário mensalmente. Finalizando meu raciocínio, digo em letras garrafais que SÓ O MEDO DE VIVER EM MEIO A BARATAS, RATOS, URINA DE RATO, DOENÇAS RESPIRATÓRIAS, DOENÇAS DA PELE, ODORES FÉTIDOS, SUPER LOTAÇÃO, AGRESSÕES, RISCO DE SER ASSASSINADO A QUALQUER MOMENTO, FALTA DE LIBERDADE, ENTRE OUTROS, já é motivo mais do que suficiente para uma pessoa em sã consciência não querer e não fazer por merecer ir parar em um lugar desses, mas alguns idiotas teimam em cometer crimes e depois ficar fazendo sinalzinho com as mãos de que está lotado e que a vida ali não está boa. Va caçar sapo e viva decentemente, ora bolas. Sargento Fahur.

Leia e assista a reportagem.