SOLUÇÃO EMPRÉSTIMOS

SOLUÇÃO EMPRÉSTIMOS

sexta-feira, 14 de julho de 2017

EU ESCOLHO A VIDA!


HERÓI ANÔNIMO !!

POLICIAL MILITAR VÍTIMA DE ASSALTO!
No dia 12 de Junho, sofri um assalto em um coletivo. Precisei manter a calma, ser frio, pensar por mim e pelas vítimas.
Um movimento errado e minha vida estaria acabada.
Me acovardar? Não fui treinado para fugir. Ser herói? Também não fui preparado pra isso. Pegaram meu cordão, meu celular e tive que deixar, afinal, a vida de um policial na mão de criminosos é como um troféu, então fiquei quieto.
São tantas leis que favorecem os bandidos que fica difícil saber se estaria reagindo a um assalto ou atrapalhando um bandido covarde de fazer seu "trabalho" como vítima da sociedade.
Eu ia ficar no prejuízo, até um dos criminosos me revistar e descobrir que eu era policial e estava armado. Tive uma arma apontada para minha cabeça e só estou escrevendo isso porque Deus me guardou, do contrário, essa semana, no dia que comemoramos meu aniversário, iriam comemorar um mês da minha morte.
Pude agir de maneira legal, proporcional e rápida, poupando a minha vida e a dos demais. Eram quatro bandidos armados e eu, apenas um policial militar que tem o pior salário do país.
Vi a morte de frente, lutei literalmente por minha vida, pois tentaram tomar minha arma mas não conseguiram. Não me feri, consegui recuperar os meus pertences e nenhum cidadão de bem se feriu, pra mim já valeu a pena.
Dos 4 lobos que saíram para sacrificar as ovelhas, apenas 3 voltaram. Aquele não era o dia deles. Não foi meu treino, minha arma ou minha coragem, foi apenas a mão de Deus.
Não recebi prêmio, não recebi visita dos direitos humanos, não tive apoio psicológico por parte do governo, afinal, agi como braço do governo, mas não tive amparo. Só pude contar com meus irmãos de farda, que correram para me ajudar e além da minha família e amigos, eles seriam os únicos que iriam chorar a morte de mais um trabalhador morto por marginais.
Mas dessa vez não, dessa vez o bem venceu o mal. A guerra continua, mas essa batalha foi nossa. Não tenho orgulho do resultado trágico, mas não lamento ter agido para me salvar, afinal, não sai de casa armado para roubar ou matar, sai para fazer o que fui treinado: servir e proteger, mesmo com o risco da própria vida.
Quando morre um Policial, morre um legado, um sonho, uma parte da família, morre o bem. Morre o único profissional preparado pra morrer em serviço. Se você acha que uma merda de salário vale isso, você é tão bandido quanto o resto.
Eu não tenho plano de saúde, não tenho ticket, não tenho nada além de um salário de R$2.600,00 com descontos, e antes que venha comparar com outras profissões, somos a única classe que morre simplesmente pela profissão. Isso NUNCA vai pagar a vida de um policial, não importa o valor.  Não estou me vitimizando, escolhi essa profissão, mas não escolhi o descaso, nem o desamparo e nem dar minha vida por nada. A guerra civil já começou e cabe você escolher o lado que pretende apoiar. Não sou o único, mas cada dia menos pessoas querem se arriscar por outras. Ou a sociedade muda ou vai perder os únicos que ainda podem combater fogo com fogo. Valorize o policial, valorize o profissional de segurança pública, valorize quem luta por você, pois sua vida o dinheiro não paga.

Sd Pereira - 6°BPM - PMES